quinta-feira, 28 de agosto de 2014

SOBRE COISAS QUE VEM DO MAR

boneca de porcelana
cansei de você
quebrando na minha mão
e causando conflito 
nesse distrito
que eu chamo coração

nem sei se sou diário
ou estranho
nem sei se sou sol
ou plutão
só sei que nada sei
sou
sou e sinto
e sinto muito

um escorpião me picou
e eu guardei seu veneno
agora eu sempre volto e venho
sem mais nem menos
ás vezes com menos

mas ninguém conhece
ninguém conhece por inteiro
bicho certeiro
tudo bem
tudo que vem do mar
guarda lá os seus segredos

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

SEI LÁ


Queria ir para o lugar
Aquele lugar onde digo que sei
Sei lá
Mas aqui não sei.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

ÁFRICA

África eterna, moderna
Ancestral, corporal
Dos sentidos, do esculpido
Do real, do seletivo
Da arte, do vivo
De um, de dois, de mil, de mais
Aquela que uma história traz
Do divino, do terreno
Do inicio sem fim, um ciclo assim
Olhar para dentro
Olhar para o centro.

NU


Me dispo de roupas mas não me sinto nu
Guru, como me dispo do corpo?
Me dispo do corpo mas não me sinto nu
Guru, como me dispo da alma?
Me dispo da alma mas não me sinto nu
Por favor, me diga, agora, urgente! 
Guru, como me dispo da mente?